sábado, 6 de março de 2010

Leitura em Braille

.


Esteta

Cega-me a beleza
em seu esplendor.
Toca-me a alma!


Amor solitário,

sussurros...
interpreta-se em
dedos úmidos.


Exegese

Seus lábios dizem não;
na mente, indecisão:
um enigma em meus dedos.


Lou Vilela




* Texto republicado (postado inicialmente em 25/09/08).

.

7 comentários:

ragi moana disse...

oi, obrigada pela visita e comentário. gostei também de seus escritos, sou fã do poetrix. Abraços,

Roberta

Fouad Talal disse...

Isso é amor em braile... o toque que decodifica o que a palavra não é capaz de traduzir...

Um beijo!

Lou Vilela disse...

Bela leitura, Fouad Talal! ;)

Wilson Torres Nanini disse...

Poemáximos, para dizer o mínimo, daqueles que que concatenam tanto sentimento para destilar um adejamento sobre abismos. Abraços!

Assis Freitas disse...

És tactil nesse mar que impele, o código e a senha. Abraço.

Sílvia disse...

Bom poema :)

Beijo

Lou Vilela disse...

Wilson,

Bom vê-lo por aqui! Obrigada pela leitura, meu caro!

------

Assis, muitos de seus comentários compõem um poema.

------

Obrigada, Silvia! Bem-vinda!


Abraços a todos