quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Amor de poeta

.

A ausência suscita
o que passou
- ternas lembranças.


A presença inibe
- além das lembranças,
nada restou.


Na ausência presente
desnudo a nostalgia,
gozo em versos.


Na presença ausente
sou homem castrado
– bicho selvagem, encurralado.


Lou Vilela

.

Um comentário:

Bia Pedrosa disse...

adorondo seu espaço... quanta sensibilidade!