segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Quem sou?

.


Quem sou?
(Lou Vilela) 

Às vezes loucura, em outras razão...
Sonho e pesadelo velados.
Visto-me de ilusão e realidade,
ando pelas sarjetas da sociedade
- daquela em que ébria, tombo pelas calçadas
e da outra em que me sirvo com talheres de prata.
Vou do céu ao inferno em frações de segundos.
Sou luz e escuridão.
Fragmentos de vida.
Porção que cura e que mata.
Segredo exposto.
O prazer do orgasmo!
Vivo no meio de putas e donzelas.
Deito-me com qualquer um
que me faça doce ou amarga.
Sou grito sem som, sou substancial.
Caminhos imbricados, pura magia...
Sou aquela a quem denominam simplesmente poesia!



* Texto republicado.


.
 

8 comentários:

nina rizzi disse...

lembra o retrato da cecília meireles, lembra o traduzir-se de ferreira gullar, lembra ainda metade de osvaldo mntengero. com tanta coisa boa me bailando, só pode ser bom, né :)

beijo.

Adriana Godoy disse...

um espelho poético de primeira qualidade. beijo.

Talita Prates disse...

ela é toda.
capaz de conter em si
todos os paradoxos.
: deusa.

lindo, Lou.

Um bjo,
e paz.

Lou Vilela disse...

E eu aqui boba de te bailar lembrando tanta gente boa, Nina. ;:

Cheiro

Lou Vilela disse...

Dri Godoy,

Que bom que voltou! Estava com saudades...

Beijos

Lou Vilela disse...

Bem observado, Talita!

Beijos

BAR DO BARDO disse...

Sim,
sim & sim.

Kanauã Kaluanã disse...

Lou,

Isto merece capa dura e letras em negrito!

Lindo!

Estou rendida, menina.