quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Ainda carnaval

.


O luxo e o lixo
compõem a fantasia
do folião mascarado


As sapatilhas puídas
enquanto o baile não finda
exibem seus passos


Nostálgica alegoria:
a vida se esvai
em ritmo de frevo
num baile de carnaval



Lou Vilela
25/02/09

.

12 comentários:

Adriana disse...

Muito pertinente e poético seu texto. Bj

"a vida se esvai
em ritmo de frevo
num baile de carnaval" especialmente esses versos.

ADRIANO NUNES disse...

Lou,

lindo lindo lindo!!!!


Beijos,
Adriano Nunes.

Hercília Fernandes disse...

Gostei muito, Lou.

E me inquietou o ponto logo acima do luxo e do lixo...

[o que será?...]

Beijos,
H.F.

Marina-Emer disse...

BONITO TEXTO DE LOS CARNAVALES
BESOS
MARINA

Lou disse...

Adriana,

Obrigada pela visita e pelo gentil comentário!

Abraços,
Lou

Lou disse...

Adriano,

Que bom que você gostou! Recentemente estive em seu blog também, o que, diga-se de passagem, é sempre um prazer.

Abraços, meu caro!
Lou

Lou disse...

Hercília,

Fico feliz que tenha gostado. Quanto à inquietação, "o que será"?! :)

Bjs, querida.
Lou

Lou disse...

Marina-Emer,

Agradeço pelos gentis comentários, minha cara.

Bem vinda ao Nudez Poética!

Abraços,
Lou

Taninha Nascimento. disse...

Oi, Lou!

Parabéns pelo blog. Gostei muito.

Sobre o carnaval, um amigo me perguntou se o achava triste. Eu respondi que sim... Muitas vezes, no carnaval, as pessoas parecem fazer um grande esforço para saberem-se felizes.

Belo poema.
Bjs, Taninha

Lou disse...

Pois é, Taninha... o "saberem-se felizes" passa a ser quase uma obrigação.

Bjs, minha querida.
Lou

Mirse disse...

Lindíssimo!
O luxo e o lixo e depois, o lixo do luxo... A vida se esvai, a alegria também.
Mas tem quem goste.

Parabéns, Lou!

Beijos

Mirze

Lou disse...

Pois é, Mirse. E ainda bem que existe essa diversidade de olhares, não é mesmo?! :)

Bjão