terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Arrebol

.


O amor que partiu
fincou-lhe o peito.

Curtido, o sujeito
alagou-se na dor,
em profunda agonia
enfrentou os sopapos,
despediu-se do sonho
que o destino negou.

Naquele momento
descobriu-se saudade,
com o olhar desmaiado,
ao mundo gritou.

Cantando em sol,
alheio a tudo,
um novo arrebol
se formou.



Lou Vilela
17/02/09


.

10 comentários:

Taninha Nascimento. disse...

Oi, Lou!

Retribuindo-lhe a visita, aproveito e digo que seu lirismo é mui belo...

"Naquele momento
descobriu-se saudade,..."

Abraços,
Taninha

Lou disse...

Taninha,

Bem vinda ao Nudez Poética!

Obrigada pela visita e pelo gentil comentário!

Já ouvi tantas vezes a Hercília fazer inferência ao seu nome que já me sinto parte dessa amizade. rsrs

Um grande abraço,
Lou

Adriana disse...

gosto de tudo, do formato, dos versos e das rimas.

Lou disse...

Obrigada, Adriana!

Bjs de coração,
Lou

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doações para criar uma minibiblioteca comunitaria na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todos.Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos.Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

rua do mundo disse...

lou

bom feriado procê também
beijos querida

Guru Martins disse...

...o luto é a luta
que lento na lida
na letra da ida
nos leva ao ledo do novo
que no desespero
no limo da dor
cega o sofredor
que precisa sofrer
pra então perceber
que ali logo ao lado
o lago (con/m)vida
à um novo mergulho...

bj

Lou disse...

Anareis, parabéns pela iniciativa. Seu recadinho ficará exposto para divulgação.

Um abraço,
Lou

Lou disse...

Fá,

Boa diversão!

Bjs

Lou disse...

Belo e inspirado jogo de palavras, Guru.

Um grande abraço,
Lou