segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Cegueira

.
De peça em peça
(poema)
saio às ruas
nua(s)

- investida
inútil...

Seu olhar cego
tateia
onde não estou.


Lou Vilela
Recife, 23/02/09
.

8 comentários:

Hercília Fernandes disse...

Adorei, Lou.

Simples e belo. Como você, um doce de ser humano.

Forte abraço, minha cara.

Beijos,

H.F.

Graça Pires disse...

Um poema muito belo.
Obrigada pela visita e pelas palavras deixadas no meu "Ortografia". Voltarei.

Lou disse...

Obrigada, Hercília! O doce está em seu olhar. :)

Abraços, minha querida.
Lou

Lou disse...

Graça, sou eu que agradeço pela oportunidade de ler tão belos versos.

Você será sempre bem vinda!

Um abraço,
Lou

Cosmunicando disse...

belo, Lou!
beijos

AC Rangel disse...

Queria tatear. Mas te encontrar. Repleta de poemas. Poemas como estes.

Beijo

Lou disse...

Obrigada, Mercedes (agora aprendi seu lindo nome rs).

Beijos

Lou disse...

AC Rangel,

Há sempre a probabilidade de encontro através das linhas e/ou entrelinhas. :)

Abraços, meu caro.
Lou