quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Herança

.


Minha consciência deserdada
de lugar-comum
vaga no limbo das escolhas.


 Lou Vilela

.


12 comentários:

nina rizzi disse...

muito bom, lou.
"o homem está fadado a ser livre", diz o sartre. isso nos enche de angústia, pois não?!

um beijo, querida :)

Mirse Maria disse...

Beleza, Lou!

Antes da decisão.... a erscolha!
Difícil, não á?

Parab´ens

Beijos

Mirse

BAR DO BARDO disse...

livre!

mas se o árbitro sou eu...

ai ai ai

Úrsula Avner disse...

belo e profundo Lou... O limbo ( metáfora do inconsciente) trouxe especial viés poético a texto. Bj.

Graça Pires disse...

A livre escolha, não a levará a qualquer lugar comum.
Um beijo, Lou.

Hneto disse...

"No limbo das escolhas" prefira sempre a poesia. Saudações.

guru martins disse...

...e pensa
que escolhe...

bj

Adriana Karnal disse...

sua consciência incomum te leva a lugares mais incríveis...

Adriana Godoy disse...

é o livre-arbítrio...beleza. bj

romério rômulo disse...

lou:
venho ver.
um abraço.
romério

Wilson Torres Nanini disse...

Infelizmente não podemos escolher nossa herança, mas podemos escolher o que o que faremos dela.

Lou Vilela disse...

Meus queridos,

Suas presenças são sempre motivo de contentamento! Agradeço pelo carinho dispensado!

Hneto,

Bem vindo ao Nudez Poética!

Abraços,
Lou