quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Escusas

.

.

Escusas
(Lou Vilela)

ouvi teu chamado
- uma prece –

que reza entre lábios,
saudades

daquilo que se perdeu:
desejo entre coxas, singrado.

nu(m)a negra paixão
atormentada de luas

assim rumarei
à tua prece salgada.



* Poema publicado no Gato da Odete.



.

16 comentários:

Assis Freitas disse...

Escusas peço eu que fico sem palavra, mas ouso: magnífico. Abraço.

Mai disse...

Ah! Mar...Nas entrelinhas, o sal. LINDO! Lou - puro sentir. Abraço

Kanauã Kaluanã disse...

Lou,

Quando o chamado assim se faz, é urgente seguir o olimpo da voz, pela poesia.
Que se dê o ritual.

Beijos.

Lara Amaral disse...

Muito bom, como sempre!

Beijos!

Mirse Maria disse...

Belíssimo, Lou!

Há muito não lia nada tão lindo!

Beijos

Mirse

*Bela Poeta disse...

Ventos me trouxeram para cá. Gostei muito. Linda construção de palavras e sentimetos.
Quando quiser fazer uma visitinha...
Abraço,
Vanessa.

Jackie Kauffman Florianopolis-SC disse...

Forte, intenso, inteiro. Formidável!

Lou Vilela disse...

Assis, o teu ousar lembrou-me:

"Ouse, ouse... ouse tudo!!! Não tenha necessidade de nada! Não tente adequar sua vida a modelos, nem queira você mesmo ser um modelo para ninguém. Acredite: a vida lhe dará poucos presentes.

Se você quer uma vida, aprenda... a roubá-la! Ouse, ouse tudo! Seja na vida o que você é, aconteça o que acontecer. Não defenda nenhum princípio, mas algo de bem mais maravilhoso: algo que está em nós e que queima como o fogo da vida!!!" (Lou Andreas Salomé)

Beijos

Lou Vilela disse...

Mai,

A sensibilidade também está no teu olhar.

Beijos

Lou Vilela disse...

Katy,

Que assim seja!

Um cheiro

Lou Vilela disse...

Valeu, Lara! ;)

Beijocas

Lou Vilela disse...

Mirse,

Você, como sempre, presenteando-me com um comentário generoso. ;)

Obrigada, minha cara!

Beijos

Lou Vilela disse...

Oi, Vanessa!

Fico feliz por você ter seguido o vento...

Bem-vinda, minha cara!

Abraços

Lou Vilela disse...

Jackie,

Seja bem-vinda ao Nudez Poética!

Um grande abraço!

BAR DO BARDO disse...

... singrar coxas ao sal precioso...

uau!

Lou Vilela disse...

Henrique,

A expressão instiga mais poemas. ;)

Beijos