domingo, 24 de janeiro de 2010

Moribundo

.




Moribundo
(Lou Vilela)

Aqui, um mortal
[e os seus pecados];
algures, O Crucificado
- ambos velam o poema
                         [encantado.

Manda.mente:
bebam deste cálice
de não emudecer preces
- améem!



.

5 comentários:

Assis Freitas disse...

Realmente encantado, o poema. Abraço.

Nelson... disse...

bom poema!!!

Lou Vilela disse...

Assis,

... e o que ele representa. ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Nelson, meu caro, grata pela apreciação. Um abraço!

Kanauã Kaluanã disse...

Lou,

Gosto muito desta tua veia "mortal".

Aos moribundos: "amem!"

A ti: aplausos.