quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Terramar

.


Foto: Yves Lorson




meu tempo, de fi(n)car;
o teu, de nadar infinitudes...


preciso, o silêncio de meus versos: alimento.
de alento, um teu caminho corpo
- mil noites de sonhar.


Lou Vilela


.

10 comentários:

Tomaz disse...

Sonhar é um mar de possibilidades mil, noites a parte ;)

Beijão
Estava com saudadaes do seu blog.

Mai disse...

Repara no vento, Lou...É tempo de amar, infinitos. Ah! Mar!
Beijos

Mirse Maria disse...

Lindo, Lou!

O silêncio sempre alimenta. E cada um tem seu tempo.

Beijos

Mirse

Assis Freitas disse...

adoro essa coisa de mil, de fincar velas no infinito...

Talita Prates disse...

Eu adorei, Lou.
Fez muito sentido para o que eu estou vivendo agora.

Um bjo.

romério rômulo disse...

te encontrei no roberto.
um beijo.
romério

Graça Pires disse...

São tuas as palavras e o silêncio. Ambos cheios de beleza.
Um beijo.

VFS disse...

pulsar em futuro,

beijo do sonho!


belo!

Moacy Cirne disse...

precisão/tensão:
tudo é dito
tudo é bem dito

/ beijos /

Marcelo Novaes disse...

Lou,





Mulheres f(i)ncam.


Homens
(ir)
rompem.








Beijos,






Marcelo.