quinta-feira, 11 de março de 2010

Jogo de malabares

.



sou a mulher da tua vida
ignora a falta de gentileza
a que pariu quatro filhos
ainda serve à mesa
e também compra o pão
jornada tripla,’mermão’

sou a tua amada
puta ‘saco-de-pancada’
alimento ao teu prazer
à disposição na hora de comer
lubrificada, só a retina

o café fumegante revigora
perdi a hora
corta a náusea matinal
cadê a porra do jornal?
Mais um dia começa!
mulher, que cara é essa?


Lou Vilela



NOTA:

A violência contra as mulheres “é transversal e existente em todas as classes sociais, diferentes culturas, religiões e situações geopolíticas”.  No blog marcha mundial das mulheres, você poderá encontrar uma artigo sobre esse tema. É só clicar aqui.

.

16 comentários:

Mirse Maria disse...

Adorei, Lou!

A violência contra a mulher aumenta a cada dia, ao contrário do que vemos na Mídia.

Falaste também por mim!

Beijos

Mirse

Fouad Talal disse...

Ei Lou! Vc é militante da Marcha? Tenho algumas amigas que são da MMM. Por sinal, a marcha até Campinas está fazendo história. Recebi algumas fotos...

"Quando uma mulher avança,
Nenhum homem retrocede!"

Um abraço!

Lou Vilela disse...

Bem observado, Mirse!

Beijos, minha cara.

Lou Vilela disse...

Fouad Talal,

Milito através da voz: "grito" sempre que posso e quando o assunto me co.move. ;)

Beijão

Assis Freitas disse...

Que coisa mais estúpida, em alguns países é uma violência institucionalizada. Violência em todos os níveis, não somente a física. Abraço e que canto ecoe sempre mais altivo.

Mai disse...

É um diálogo cego, surdo e estúpido, Lou. Conseguiste dar voz no tom exato.
abraços, querida

Lou Vilela disse...

Que assim seja, Assis! ;)

Beijos

Lou Vilela disse...

Essa é uma boa definição, Mai!

Beijos

Lara Amaral disse...

As vozes que se chocam, que não combinam, que não se entendem... só podia ser Marte e Vênus mesmo.

Incrível seu texto, Lou.

Beijos.

Adriana Godoy disse...

Lou, pormeio da poesia, vc conseguiu denunciar uma situação tão recorrente. Belo trabalho. Parabéns mesmo. beijo.

Moacy Cirne disse...

Você e o Balaio,
hoje.

Lou Vilela disse...

Dri, obrigada! Cada um vai fazendo a sua parte, né?

Beijos

Lou Vilela disse...

Moa,

Cheguei no baliao antes do seu recadinho. rsrs Já deixei meu comentário lá.

Amanhã é o meu aniversário e ganhei um presente antecipado.

Beijos

Lou Vilela disse...

corrigindo: balaio

Raquel Donegá disse...

Belíssimo poema!!!

denuncia de forma sutil a situação de muitas mulheres...

Lou Vilela disse...

Raquel,

Denunciar é preciso! ;)

Obrigada pela presença! Bem-vinda, minha cara!

Abraços