quinta-feira, 29 de abril de 2010

Abstrato

.



Ao dobrar esquinas
de armações concretas
colidi com girassóis
transfigurados em versos.

- E isso fez toda a diferença!


Lou Vilela




.

12 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Tens um gosto pelo Gogh.

Agora misturou com uma urbanidade pós-moderna...

BOM!

nina rizzi disse...

ah, menina, que beleza, posso até ver os teus versos: são os girassóis meus preferidos :)

sim, faz toda a diferença :)
um beijo.

Mai disse...

Ah, Lou...Coisa boa teus giros de poesia e sol. Em alguma medida você me lembrou João Cabral de Melo Neto. "Dizer do naturalmente abstrato numa linguagem concreta."
Isso SIM, faz toda diferença.

Um girassol prá ti, e um sol que se derrame em luz.
Adoro tua poesia, Lou!

Beijo

Lara Amaral disse...

Os girassóis seguiram seus versos como seguem o sol.

Que lindo, Lou!

Beijo!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Esquinas assim estão cada vez mais raras...

Assis Freitas disse...

fez acender luzes nas palavras, cheiro.

Leonardo B. disse...

[a diferença que a diferença faz... o verso esteve lá sempre; o olhar é que nem sempre o quer ver...]

um imenso abraço, Lou

Leonardo B.

Jorge Pimenta disse...

Belo regresso o teu, Lou, nas pétalas do girassol!
Um abraço!

Úrsula Avner disse...

simples e belo Lou... Bj.

Talita Prates disse...

E se não são girassóis transfigurados em versos
a perfeita metáfora do que faz diferença na vida,
o que seria?!

Gostei muito, Lou.

Um bjo,

Talita.

ADRIANO NUNES disse...

Lou,


Lindo!



Abração,
Adriano Nunes.

Lunna Guedes disse...

Cheguei aqui há pouco e fui lendo (navegando) e quando vi cá estava diante dessas esquinas com seus diferentes girassóis, Precisei parar porque fez toda a diferença. Grande abraço.