terça-feira, 20 de abril de 2010

Pequeno quadro

.




O crepúsculo acenava
despertando quereres:

estudo em aquarela
esboço de poema
teu cheiro.


Lou Vilela







* Poema inédito no Ritmos e rimas. Título: 'A poesia propõe'.
** No histórias (re)inventadas: 'Paradoxos cotidianos'.



.

16 comentários:

Leonardo B. disse...

[em palavra, qual moldura do dia que se adormece, acordando]

um imenso abraço, Lou

Leonardo B.

guru martins disse...

...da cena
à tela e
à moldura...

bj

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Pintura em singular moldura
Feita de cheiro e acenos...

;)

Wania disse...

Um querer diluído...


Linda aquarela!
Bjs, Lou

Lou Vilela disse...

Leonardo,

Um imenso abraço para ti também, poeta! Seu lirismo encanta!

Lou Vilela disse...

É isso aí, Guru! ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Mérito do crepúsculo, Francisco! rs

Bjs

Lou Vilela disse...

Wania,

Por coincidência, acabei de chegar do 'encantaventos'. Deixei lá um beijo procê. ;)

Assis Freitas disse...

Fase pictórica, telas sinestésicas, palavras que embalam ondas e vagas. Cheiro

Kanauã Kaluanã disse...

Nem só de pena se faz poema.
Aqui, pincel e beleza se diluem.

Beijos.

Lara Amaral disse...

Delícia de quereres!

Beijo.

Úrsula Avner disse...

Oi Lou, encantador poema crepuscular... Bj.

Regina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Matéria Escura disse...

meu nariz te lê.

(a)dorei


Ryan.

BAR DO BARDO disse...

Adorei.

Sinestesia... e tal...

Jorge Pimenta disse...

o cruzamento perfeito entre a arte e a pele... em apenas cinco versos!