domingo, 13 de junho de 2010

Cartesiano II

.
Escrevo,
logo insisto

: doa-se pele
frascopoema
avulso.

Lou Vilela

.

25 comentários:

Marcantonio disse...

Sem dúvida metódica.

Abraço.

Anônimo disse...

sopro crítico, contumaz.

não consegui alterar o cronograma.

a.v.

Adriana Godoy disse...

Leio, mas nem sempre gosto, mas gosto do que escreve. Beijo.

Lara Amaral disse...

Massa, Lou!

Beijo.

Assis Freitas disse...

na medida intensidade, belo

cheiro

Ava disse...

Vai além da imaginação...

Fica um gosto amargo na boa...

Bjs!

Jorge Pimenta disse...

leio,
não desisto:

renova-se pele
com tinta e papel
avulso
e a pulso.

beijinho!

Lou Vilela disse...

Réplica-diálogo surpreendente, Jorge!

A ambiguidade do termo "a pulso" torna a construção ainda mais rica.

-----------

Meus caros,

É um prazer receber olhares atentos.

-----------

Um grande abraço a todos,
Lou

Talita Prates disse...

adorei a máxima "lousiana":

"escrevo, logo insisto."

meu bjo, Lou!

Talita.

Nydia Bonetti disse...

também sou insistente lou... que lindo! beijos.

Zélia Guardiano disse...

Show, Lou!
Com umas poucas palavras [infalíveis], você escreve esse baita poema... Demais!!!
Beijinhos

Mirze Souza disse...

Mais que BELO!

Outra "máxima" criada!

Beijos

Mirze

tonhOliveira disse...



Vim lê-la

Cá 'tive, me aloumbrei demais!

Be:)os!

dade amorim disse...

Uau! Conciso e preciso!

Beijo beijo

Geraldo de Barros disse...

incrível sua poesia, Lou. parabéns!

beijos
G

BOMBA H disse...

Sempre insisto.

Eder Asa disse...

É... Insiste mesmo. Ainda bem que insiste.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

escrever é não viver e morre de morte, escrever é estar-se vivo em tantas verdades e certezas...
gostei da sua póetica menina!!!!

Lunna Guedes disse...

E a pele se renova, se reinventa e depois parece que acaba. rs
Bacio carissima

José Carlos Brandão disse...

Vejo.
Logo, sou poeta.

A imagem
é o princípio
do mundo.

Um beijo, Lou.

Juan Moravagine Carneiro disse...

Adoro seus versos...

sua dança com as palavras...

Lindo

beijos

Graça Pires disse...

Não há dúvida alguma... Interessante este pequeno poema.
Beijos.

Fouad Talal disse...

Poemas homeopáticos só curam poetas.

Abraço querida.

Daniela Delias disse...

Lindo o seu poema, assim como tudo o que está aqui em seu blog. Bjos, com admiração!

Cris de Souza disse...

Tudo muito belo por aqui...
Evoé!