quinta-feira, 24 de junho de 2010

"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara" *

.
(Uma réplica da última postagem que fiz no blog 
Maria Clara: simplesmente poesia, em 21/06/10.)


Exploding Clock - Salvador Dali

 
Ao passante

Implacável o tempo sobre todos
os nomes. Fazer dele uma arte
espanto, extensão...

Lou Vilela

Imortal

Corta, perfura, remenda...
Da emoção, nasce o poema
No caos, morre o poeta.
Fim do primeiro ato!

Corta, perfura, remenda...
A cada poema,
Renasce do caos, o poeta.
Fim do segundo ato!

Corta, perfura, remenda...
Imortal é o poema,
A alma do poeta
Fim do espetáculo!

Lou Vilela



* Citação no título: José Saramago.
.

8 comentários:

Talita Prates disse...

O que dizer, Lou?

...

Sinto-me salva,
por acréscimo.

Salve, Saramago.
Salve, tu, querida poeta!

Um bjo,

Talita.

Lua Nova disse...

Adorei tudo... cada palavra, cada imagem, cada pedacinho das tuas emoções postados aqui.
Convido-a para tomar um chocolate comigo e, quem sabe, seguir-me também. Ficarei muito feliz.
Beijos.

Assis Freitas disse...

e esse infindável tecer vai nos eternizando em palavras,

cheiro

p.s. e a chuva amenizou?

Lou Vilela disse...

Talita,

Tu consegues reparar. ;) Salve, querida poeta!

Bjs

Lou Vilela disse...

Lua Nova,

Bem-vinda ao Nudez Poética!

Convite aceito. ;)

Abraços,
Lou

Lou Vilela disse...

Prezado Assis,

Sim, a chuva deu uma trégua, mas deixou um rastro enorme de destruição. Meu coração ainda chora toda essa tragédia. Agora é reconstruir! Torço para que a sociedade continue solidária.

Abraços,
Lou

Cris de Souza disse...

Aplaudo teu lirismo!

AmorBandidu disse...

Muito lindo lindo lindo seu blog
parabén pelos posts

te tiver tempinho visite meu bloguinho

www.amorbandidu.blogspot.com