sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Bula de um poeta

.




Escreverei preto 
Quando luta ou dor. 
 
Escreverei branco 
Quando ausência de cor.
 
Escreverei...
 Tantos quantos – se for. 
 
[Palavra (mal)dita!]
 
 Serei pássaro, metáfora 
Resíduo que se alastra 
Braseiro, fumaça... 
 
Grito, murmúrio 
[Fundo, raso 
Claro, escuro...] 
 
Mais: o que silencia. 
 
Serei. 
 
 
Lou Vilela

.

25 comentários:

Lou Vilela disse...

Desenferrujando um pouco. :))

Um grande abraço a todos,
Lou

so sad disse...

respira-se poesia aqui!
beijo!

Leonardo B. disse...

[trazem-me à memórias os trabalhos do poeta quando Octavio Paz, escrevia

"Palavras? Sim, de ar,
e no ar perdidas."

... adentradas na eternidade]

um imenso abraço, Lou

Leonardo B.

Rosangela disse...

És poesia pura!

Mai disse...

Na prescrição, princípio ativo: - POESIA - doses diárias de palavra e silêncio.

Bom reler-te, homeopaticamente

grande abraço, Lou.

Lara Amaral disse...

A bula perfeita, tomar várias doses ao dia.

Beijos, querida.

Eder Asa disse...

Antes de medicar-se, vide bula, não é?
E os efeitos colaterais, quais são?

Lindo de curar, Lou.

Ósculos quadrados!

Úrsula Avner disse...

beleza e profundidade como de costume... Bj.

Mirze Souza disse...

Bom voltar a te ler!

Perfeita BULA! Em doses homeopáticas, é o que precisamos!

Beijos

Mirze

Cosmunicando disse...

aos desavisados eu diria: não bula com essa bula! poeta é coisa séria... e poeta da tua qualidade, mais ainda :)
que belo, Lou!
beijos

Lou Vilela disse...

so sad,

Que o ar permaneça 'contaminado' e compartilhado. ;)

Obrigada pela presença!

Bjs

Lou Vilela disse...

Prezado Leonardo,

Bela citação! O poeta merece nossa reverência. Veja:

"Soy hombre: duro poco
Y es enorme la noche.
Pero miro hacia arriba:
Las estrellas escriben.
Sin entender compreendo:
También soy escritura
Y en este mismo instante
Alguien me deletrea."

De arrepiar, não?

Abraços

Lou Vilela disse...

Rosangela,

Obrigada pelo generoso comentário! Parte dessa poesia está em seu olhar, minha cara. ;)

Abraços

Lou Vilela disse...

Mai - precisa-mente!

É sempre um prazer 'recebê-la'!

Beijos

Lou Vilela disse...

Larinha,

Ao medicamento, pois! ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Éder,

Ó(s)culos quadrados para aumentar a sensação de longitude? rsrs

Bjs

Lou Vilela disse...

Úrsula,

Obrigada por ter vindo!

Beijos

Lou Vilela disse...

Mirze,

Bom te ver por aqui! ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Mercedes,

Lisonjeada com a sua presença.
A admiração é recíproca!

Beijos

Hercília Fernandes disse...

...ser poesia, Lou.

Lindos versos, amiga. Saudades de ler/sentir a beleza que emana de sua escrita!

Beijos,
H.F.

Fragmentos de Ser... disse...

Ual!
Adorei a poetica
clara e direita.
Flores e Cores pra ti.

Wania disse...

Lindo, Lou

Tua poesia não tem prazo de validade... eternamente válida e bela!

Bjs

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Lembrou-me algo do amigo Zorbba do blog o quarto branco:

28/03/10
Hai-you II
.
.
Por ventura
Vide a vida mais bela
E menos bula


Zorbba Igreja

Jorge Pimenta disse...

o ser-fazer é todas as coisas, mas o ser-ser constrói-se no silêncio. e a poesia, então? ah, mal.dita!...
um abraço, querida lou!
sempre tão bom ler-te!

Lua Nova disse...

O que silencia é o coração para ler-te e absorver-te.

"Manter à brisa fresca e à luz da lua"...

Beijos.