quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Imperdível: Maria Clara - uniVersos femininos


Maria Clara — uniVersos femininos, coletânea que reúne 12 poetisas de diversas localidades do Brasil, possuidoras de formações e atuações profissionais várias, cujos trabalhos literários, então expandidos na internet, tem alcançado significativa repercussão junto aos leitores.

A obra foi lançada recentemente durante a 21ª Bienal Internacional de Livros de São Paulo, pela LivroPronto Editora-SP, e resulta das interações construídas no blog/projeto voltado à apreciação de poesia feminina, sob a coordenação de Hercília Fernandes, Maria Clara: sim ples mente poesia.

O livro contém 256 páginas distribuídas em 12 capítulos individuais e coloca em pauta a relação "gênero x poesia". Integra as discussões pautadas na visão de que a escrita elaborada por mulheres na atualidade transcende aos ditames da tradição falocêntrica e misticismo religioso, posto consistir uma criação que "diz", que "revela"; muito embora mantenha, ainda, traços pertinentes ao lirismo feminino, como o sentimento, a imagética e a introspecção.

A coletânea evidencia, assim, os saberes e as experiências dos universos femininos, confere valoração à leitura/escrita feita por mulheres em suas práticas sociais cotidianas. Essas considerações são postas, à reflexão do leitor, no livro, na apresentação historio(gráfica) de Hercília Fernandes.

.
O prefácio, intitulado "Noivas na estante", foi escrito pela Profª. Drª. em Literatura Comparada Ana Santana Souza de Fontes Pereira (UFRN), cuja apreciação crítica, constituindo uma poética a mais no conjunto da composição, destaca a multiplicidade no fazer literário das autoras, donde as "marias": "se vestem de tônicas, em todos os tons do claro (do rosa ao cinza), e estão prontas para pular muros ou atravessar paredes e casar com a poesia. São noivas pegando tudo que as inquieta (e mais o que a visão de lupa coleta) para criar uma paisagem reciclada de açúcar queimado em que versos escritos à ponta de faca perturbam como ferroada de marimbondo bravo (p. 16)".

O livro comporta preciosas considerações, em posfácio, sobre "a leitura de mulheres na obra do pintor francês Pierre-Auguste Renoir", especificamente em "Woman Reading", pintura em destaque na capa do livro. A análise foi elaborada pela historiadora e atriz, também poetisa, Nina Rizzi (UNESP), que assegura que as "marias claras", nesta coletânea, vão "além do caderno goiabada, das continhas e do fardo de que a mulher somente se realiza na maternidade" (p. 255).

.
.

8 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Parabéns para você, Lou, ao integrar esse "vessel" em direção ao sol do Belo...
Parabéns a todas "as meninas" que embarcaram juntas no desacordo da Poesia.

Namastê!

Assis Freitas disse...

Clareia, Maria Clara, Clareia


cheiro

Talita Prates disse...

feliz...

: )

Valquiria Calado disse...

Isso é muito bom!

Na emoção se sair do casulo
no colorido que dei ao sonho
nas formas geometricamente coloridas das asas
no brilho cintilante que deixei no ar:
Havia amor, paixão, deslumbre...encanto!


beijos.

Francy´s Oliva disse...

Parabéns, o que me deixa, também feliz é que há outras realizações sem ser a maternidade.
Bjs.

Úrsula Avner disse...

É isso aí Lou, vamos divulgando... Ainda não li o texto do qual vc me falou por e-mail, mas vou ler e comentar depois. Bj.

Renata de Aragão Lopes disse...

Como a Talita,
imensamente feliz! : )

Beijo,
Doce de Lira

Lua Nova disse...

Lou

Até domingo, ainda terei postados no meu blog os livros da Solange do Eucaliptos ( que esgotaram em poucos dias).
Na 2ª feira, gostaria de postar o "Maria Clara", se vc concordar.
Por favor, dê uma resposta.
Beijokas.