sábado, 4 de setembro de 2010

Maresia

.

Praia de Calhetas, Cabo de Santo Agostinho - PE; por Lou Vilela.




Tua sede represada
Inunda-me sal(dades)
Saliva de (a)mar
Profundo

Lou Vilela




Caríssimos(as), 

Por motivo de força maior, continuo sem conseguir dispensar a todos a atenção que merecem. Mais uma vez, aproveito a oportunidade para me desculpar e agradecer imensamente pelo carinho recebido.

Beijos saudosos,
Lou

.
.

7 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Fazer como o Jorge Pimenta, troca.de.ilhas también... e belíssimas! Bjus, Lou! :D

Nilson Barcelli disse...

Gostei do poema.
Apesar de ter poucas palavras...
Bom fim de semana.
Um beijo.

Assis Freitas disse...

com um mar desses, o que não falta é inspiração


cheiro

Lara Amaral disse...

Profundidade é o que há nessa sua imensidão de poetisa.

Beijo.

Mai disse...

Inundar-se de sal e saliva.
É o mar, Lou, é o amar!

Ô praia linda!
É aí que eu me escondo quando vou à Recife, Lou. Minha irmã tem um sítio em Calheitas.

beijos e bom feriado!

Daniela Delias disse...

Inundei-me, Lou! Belíssimo. Bjos!

Jorge Pimenta disse...

se os cantares de amigo se escrevessem ainda hoje, teriam esta reconfiguração estética, com certeza!
como o sal e o mar podem conjuntar-se na essência dõs afectos!
um abraço!