sábado, 18 de setembro de 2010

Poema inter.rompido

.





O tempo, cova de espantos;
as gentes, braseiros de saudades...

Lou Vilela




.

9 comentários:

Anônimo disse...

Lindo demais!
Bjs

Assis Freitas disse...

e tudo arde e queima,


cheiro

Lou Albergaria disse...

Lindo!

Sua poesia me encanta sempre!

Parabéns!

Beijão!

Lara Amaral disse...

Per
fei
to
!

=)

Beijo.

Domingos Barroso disse...

E o coração tão apertado.

Carinhoso beijo.

sidnei olivio disse...

Um dístico que encanta e vale por mil palavras. Me encantei, Lou. Beijos.

Carol disse...

Lindo... aiai, e quanta saudade.

BAR DO BARDO disse...

um dia
adia-
se

Lena disse...

Falando de saudades...
Ficamos sem palavras.
Parabens por poesias tao lindas

Lena