sábado, 23 de outubro de 2010

Leitura suicida II

.
Mar Agitado - Gustav Klimt




Debruço-me sobre ti
(uma fome de mil bocas)
como se a espumar
onda que arrebenta
e lambe arrecifes.

Lou Vilela




.

11 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Uau!

Que lindo o seu poema!
Senti daqui a violência pura do seu querer... lindo demais!

Beijos

Lara Amaral disse...

Tremendo!

Adoro sua força poética.

Beijo.

Assis Freitas disse...

fome de mil bocas é arrepiante,



cheiro

Mai disse...

O que me fascina é o estrondo do poema que provoca efeito contrário ao suicídio. Luz e emoção
Mais máximo que mínimo - [como os venenos de pequeníssima dose e sempre letais]

beijos, querida

Barbara C disse...

Belissismo!


bjo Lou

JORDAS disse...

Não é uma onda é um tsunami de desejo que arremte aos arrefices e os coloca na boca de mil fomes.
Boa semana

carmen silvia presotto disse...

Ao ler morremos em tua praia de versos, Lou... Parabéns!!!

Beijos.

Francy´s Oliva disse...

Que "violência"...hum.
(quem não gosta deste tipo de violência?)
beijos

dade amorim disse...

Fortíssimo, Lou. Bem como você sabe fazer tão bem.

Beijos.

Daniela Delias disse...

Que imagem poética!!!!

Vieira Calado disse...

Andei por aqui a ler.

Achei bastante interessante.

Saudações poéticas