domingo, 3 de outubro de 2010

Um regalo, antes que amanheça

.



Este poema pretende-se 
quase tão "eloquente"
quanto o meu silêncio:
trans.borda-nos...

Lou Vilela

.

14 comentários:

dade amorim disse...

Eloquência maior, Lou.

Beijo

Assis Freitas disse...

sem dúvida um regalo, e salta aos olhos


cheiro

Colecionadora de Silêncios disse...

Olá, Lou.

É um prazer conhecer este espaço maravilhoso.

Adorei os seus versos! Pura sensibilidade!

Sigo-te!
Beijos

carmen silvia presotto disse...

E este poema trans borda-nos, inquieta -nos a sair do silêncio.

Um abraço e parabéns Lou por toda Poesia encontrada aqui.

Carol disse...

Que lindo! Meus silêncios ás vezes me enlouquecem...

Machado de Carlos disse...

Belíssimo! Belas idéias por aqui!

Renata de Aragão Lopes disse...

Excelente, Lou!

Beijo,
Doce de Lira

Francy´s Oliva disse...

Fico imprescionada como vc brinca com as palavras. Bjs

Mai disse...

Tua poesia é a epígrafe de uma manhã silenciosa e sonora.
Gostei demais.

sidnei olivio disse...

Realmente salta aos olhos. Beijos.

Jorge Pimenta disse...

de silêncios eloquentes sabe aquele que perde a voz nas linhas da poesia... felizes aqueles que lêem o que escreves; é que nos.trans.borda.

um beijo!

Lu disse...

Lou,

Certeira, sem meias palavras!
Beijo!

Cris de Souza disse...

Assim, entontece-me.

Beijo, caríssima!

João Bosco Maia disse...

Estive já por aqui e cá estou outra vez. Belo espaço para as letras e para remover este triste índice de leitura de 2 livros/ano por brasileiro. Na Argentina, são dezoito livros/ano.
Te convido a conhecer meus romances. Três deles estão disponíveis inclusive para serem baixados “de grátis”, em formato PDF.
Um grande abraço e boa leitura!
João Bosco Maia