segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Poema sem título II

.
'A dor passa, mas a beleza permanece'.
(Renoir)

La Grenouillere - Renoir 


A poesia engole bocas
Em alarido de olhos
Pululam poemas

Lou Vilela


* Agradeço sempre e muito pelo carinho dispensado. É uma alegria enorme recebê-los aqui! Beijos e boa semana a todos!

** Hoje, é o meu dia de postagem no blog "Maria Clara". Quem desejar conferir é só clicar aqui.

*** O Eder, do "Lura da Quimera", prestou-me uma linda homenagem. Clique aqui para ler.

11 comentários:

sidnei olivio disse...

Poesia é assim: o mínimo que abarca um conjunto de imagens sem fim. Brilhante, Lou. Beijo.

Lara Amaral disse...

Alegria é poder lê-la, essa poesia que toca profundamente.

Beijo, querida.

tonholiveira disse...



Eu vi, le-la é bom,
po lou lam ideias!

be:)os!

Oh not ←!

Mai disse...

Arrebatou-me.

perfeito!

beijos

Marcantonio disse...

Esse poemas que já estão lá antes da palavra alcançá-los.

Aliás, Lá Grenouillere, o de Renoir e o de Monet, é desses poemas que marcaram a minha vida na compreensão do impressionismo. Que bom que você o colocou aqui.

Beijo.

Assis Freitas disse...

a palavra por trás da nuvem,


cheiro

Eder Asa disse...

Sua poesia me engole (e rumina),

E, Lou, lá no Lura da Quimera tem uma referência carinhosa a você, que é meu remédio em dias rasos.
Beijo grande!

carmen silvia presotto disse...

Lou, a tua poesia engoliu minha boca, em teu canto me fiz silêncio.

Um beijo

Fouad Talal disse...

lou,

saudade de passear por aqui!
sobre o renoir, não raramente dor e beleza andam juntas. veja aquela música do cartola, "o mundo é um moinho".

bjo minha querida.

Marcelino disse...

Engole bocas, olhos e o que mais pulular no homem.

docerachel disse...

A palavra corta e sangra em nós.