quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Vendaval

                                              







Franziu o cenho como quem buscasse proteção
contra o tempo que aquelas palavras prenunciavam.

O amor se inaugurava...

Lou Vilela







* Em intertextualidade ao poema “Na praça”, da poeta Adriana Godoy.
** Imagem: "Sea serpents IV" - Gustav Klimt.
.

9 comentários:

Graça Pires disse...

Inaugurar o amor, mesmo quando o tempo fende as palavras imperfeitas...
Um beijo, Lou.

Francy´s Oliva disse...

Um vendaval de emoção quando o amor se inaugura,e não importa quantas vezes.
bjs.

A.S. disse...

Nada melhor que uma tela de Klimt para ilustrar as tuas palavras!


Beijos!
AL

Henrique Pimenta disse...

great

gostei

Mai disse...

Muito bom!

bjo

Assis Freitas disse...

fui ver o texto da Adriana, e me lembrei de uma canção, Fotografia do Tom Jobim,


cheiro

Marcelino disse...

Sintético, esse romance de mil páginas, já lidas e relidas há séculos: é o belo.

Eduarda disse...

Lou,

Um verdadeiro hino ao amor.

Adorei!

bj

carmen silvia presotto disse...

Lou, teu canto é sempre uma invocação ao amor.

Parabéns!

beijos