quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

No fundo, o mar é azul

.






Cantarei o mar,
talvez me acalme;
ou trave uma luta
com o anzol
(nem sempre se sai ileso).

Cantarei o mar,
talvez alarde;
ou silencie na paisagem:
pedra úmida, coral.

Cantarei o mar,
ele é azul.

Lou Vilela

.

13 comentários:

Rosangela disse...

Por fora a grande esfera tbm é blue. Mesmo que dentro de algo, somos em totalidade blue. Bjs poéticos!

Mai disse...

O mar ou um blue - cantar sempre.

beijos, Lou.


P.S.

Tudo caminha por aqui; aos poucos a reconstrução vai se dando. Obrigada.

Marlon disse...

lindo, pulsante, vivo...
continue escrevendo...nunca nos prive
destas emoções...te seguirei!

^^)

Leonardo B. disse...

[delicado traço das águas, do mar, da placenta palavra]

um imenso abraço, Lou

Leonardo B.

Assis Freitas disse...

lembrei da trilogia das cores

a liberdade é azul
a igualdade é branca
a fraternidade é vermelha

*mas o mar é tão verde quanto o mandacaru do meu sertão

cheiro

Fátima disse...

Cante o mar.
Cante...
E que ele se encante com sua poesia
como eu me encantei.

Um beijo
Com carinho
Fátima

dade amorim disse...

Nunca se deixa de cantar o mar.

Beijo pra você.

rolgay disse...

hi ! friend could we exchange link together?,hope it will be good if we can do here is mine:

http://cambodiantoday.blogspot.com/
thank for your kindness

Wania disse...

Lindo, Lou


Quem canta o mar sempre encanta!



Bjs de anil, minha amiga

Barbara C disse...

ele é azul, as vezes anil, como o céu da impressão de infinito;

Não é?


bj

carmen silvia presotto disse...

Faço côro a este canto azule que o amor no mar nos escute...

Beijos.

Sônia Brandão disse...

É sempre tempo de cantar o mar, mesmo em tempo de anzóis.

bjs

Marcelino disse...

O mar é sempre um tema que me fascina e tua escrita, cheia de bolhas (acalme/alarde) e verdades (dificilmente se sai ileso do anzol), trouxe-me mais perto da beira.