sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Gondoleiro do amor

.
.
                                 
Silêncio2, foto do baiano Adenor Gondim.  
 Comunidade Quilombola, Rio Trombetas - Pará. 
.


Gondoleiro do amor

Singram, poeta d'outrora,
Tuas cores: (a)mares, amoras.

Lou Vilela



* Em reverência ao poeta Castro Alves.

.

11 comentários:

evandro mezadri disse...

Muito legal Lou, e que bela foto, deu um grande realce as palavras.
Abraço e sucesso!

Fouad Talal disse...

Castro Alves foi primeiro espanto e paixão na poesia. Um mestre!

Linda a foto e o poema!

Beijo com carinho

R.B.Côvo disse...

Muito bem conseguido. E lindo. Abraço.

rua do mundo disse...

lindo, xuxuxuxuxuzinha...aliás pra variar de vc só espero coisas boas...

amolha, xuxuxuxuxu... mesmo estando tristinha como estou hoje... veja mensagem no face, plisss


vou a uma palestra agora tarde, depois te conto...

beijim, xuxuzinha

José Vitor disse...

Passei por aqui... Viagem longa, mas o jardim das rosas existe!

carmen silvia presotto disse...

Lou, gosto do enquadramento de teus versos, minimamente nos trazes as gôndolas de Veneza, do amor, da busca e percebo sempre um grande trabalho, gosto de estar aqui para cavocar toda estas arquiteturas poéticas.

Beijos, bom final de semana.

Carmen.

Assis Freitas disse...

d'além mares,


cheiro

Eder Asa disse...

Sei... esses amores, namoros e amoras...
O poeta d'outrora e a poetiza do agora,
Beijo, Lou!

Wania disse...

Lou

Tudo lindo!


Bjs

Maria G. disse...

O que dizer desta ternura com que as palavras se relacionam.
Casamento perfeito entre elas.

M.G.

Camila Senna disse...

Seu blog é intrinsecamente poético, adorei Lou.

Já sigo...

bj, shalom.