sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Preto e branco

.
Clique na imagem para ampliá-la.


* Escrito em intertextualidade ao poema "Rostos - modos de criar retratos (13)", do artista plástico e poeta Marco Antônio Soares da Costa (Marcantonio).

** Arte sobre fotografia, Lou Vilela. Imagem original "Por-do-Sol no sertão", de Kalila Pinto.

.

10 comentários:

Assis Freitas disse...

singular é o poema,


cheiro

Evanir disse...

Ao som dessa suave e doce melodia
encontrei seu blog .
Um espetaculo de postagens lindo de viver.
Ja entrei seguindo seu blog como é bom novos encontros novas amizades .
Desejo um feliz final de semana beijos carinhosos ,Evanir
www.fonte-amor.zip.net

http://www.aviagem1.blogspot.com/

RICARDO disse...

Genial!

Luiza Maciel Nogueira disse...

adoro esses diálogos poéticos, enriquecem e se multiplicam :)

bjs

Eder Asa disse...

quem deixou ser_tão talentosa?

MOISÉS POETA disse...

Nudez poética...!

Um beijo, poetisa!

Marli Boldori disse...

Lou,que beleza de reflexão para iniciarmos nosso dia.Belo jogo de palavras que nos levam a voar e analisar.Por sermos tão ser-tão...
Um grande beijo e um ótimo final de semana.

Marcantonio disse...

Admirável essa intertextualidade. Coisa de semente que é levada no ar e germina diversa, mais bela, noutro terreno. Faz da experiência poética esse ser tão plural e fecundo.

Eu me sinto honrado, Lou!

Abraço.

Curiosa disse...

ficou lindíssimo, Lou ...
adoro juntar imagem e palavras também .... (já que as palavras são limitadas ... a imagem as complementa ... - eu acho ...)
beijos pra vc ...

Rosangela disse...

Se não houvesse esse 'ser.tão' talvez não houvesse Lou Vilela.
Magnífico!
Bjs poéticos.