quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Bela luna





Faz das ruas um palco;
da plateia, gato e sapato;
das pedras, querubins.
Irrompe noites em rima.
Quando cheia, pantomima;
parece, vai explodir.

Lou Vilela
.

.

4 comentários:

Natália Campos disse...

Pequeno, e no entanto, belo seu poema. E de uma leveza inconfundível. Bjs.

carmen silvia presotto disse...

Bela Luna a la Neruda, e que me faz recordar a noite strelada de Van Gogh..

um beijo grande Lou, sempre carinho.

Carmen Vidráguas.

Daniela Delias disse...

Tão intenso e belo!
Bj, bj!

Cynthia Lopes disse...

bela lua
nua, inteira
versos, rima
pura poesia.