sábado, 5 de novembro de 2011

Calendário



À Daniela Delias, por seu 'Calendário Poético' e outros tantos.

 J. Anderson


 
equilibro junhos, ajusto
ardo dezembros de fênix
todo janeiro estreio.

Lou Vilela
.

9 comentários:

Daniela Delias disse...

Ah, que lindo!!!!!!!!!!!!!!!

Lou, me dei conta agora de um lance mágico...hoje, do lado de cá, falava sobre essas vezes em que o espanto apela e nada do verso rs. O espanto, o lirismo do espanto, está presente nos teus poemas, e isso está dito aqui nesse recado aos passantes. Wilson Pereira, poeta tão querido que conhecei lá em Minas, disse que poeta é quem dá susto nas palavras. Mas há também essas vezes em que elas estão ali e nada da gente se espantar, né?

Eu vibro com a tua poesia. E fico aqui com os olhos marejados ao ver o meu nome tão pertinho de uma delas.

Beijo com um carinho imenso, de amizade e admiração,

Dani

Assis Freitas disse...

(des)maio: outros rubros,


cheiros

Eder Asa disse...

Tenho pavor de inícios e finais. Quisera eu que a vida fossem só os julhos e agosto.
desequilibra-se.

Tania regina Contreiras disse...

Muito lindo mesmo, Dani e Lou!!!
Beijos,

Pedra do Sertão disse...

Oi, Lou,

sempre impactando com sua poética!

Abraço

Júlio Machado disse...

de amor morremos...
do mesmo cadinho do amor renascemos feito fênix.
Beijos!

Adriana Karnal disse...

Lou,
eu estou riscando os dias do calendário, quero a poesia com febre, ardida,estou querendo dezembro!!!lindo, lindo amiga.

Cynthia Lopes disse...

perfeito calendário,
das estréias
nos janeiros

bjs

Espaço Porta disse...

gostei!