terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Demasiado humano



Atrozes, os lobos se manifestaram,
Devoraram-me a poesia.
Esperança! – insisti,
Mas aqueles olhos crestam
O verbo, os sinos, as pontes.

Lou Vilela
 .

7 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

Lobos de dentro de nós. Logos.

Beijo e votos de bom ano para ti!

Bruno Gaspari disse...

Engraçado que você acha um blog
interessante e essa sorte se
estende a descoberta de outros
blogs igualmente ou ainda mais
interessantes que o primeiro...

Bem, o que quero dizer é da
minha felicidade em achar
um blog de poemas tão bom quanto
o seu e já deixo meus aplausos
aos poemas que li nas postagens
até agora. Intensos e perfeitos!

Parabéns e aproveito para te
desejar um Feliz 2012.

De Bruno pra Lou =)

Marcelino disse...

Uive para eles, Lou.
Feliz 2012,nêga!

Jorge Pimenta disse...

por cada lobo atroz, um poema-esperança. há duelos que têm um só desfecho anunciado: o da persistência.
que 2012 seja justamente um ano de esperanças renovadas e sucessos dobrados, querida amiga!
beijos com saudades!

Daniela Delias disse...

Ah, esses lobos e as poesias que deles arrancamos...
Lindo, LOu!
Te desejo um lindo 2012, és mto especial pra mim!
Bjo com carinho,
Dani

Cynthia Lopes disse...

õ lindeza!

Jorge Leandro disse...

Sobreviver não passa do esforço eterno para ser regurgitado.