sábado, 25 de fevereiro de 2012

Poema sem título IV



Acabara de submergir,
mais um poema!
um quase
mundo independente
tão necessário quanto vulgar
: seu caviar, 
feijão com arroz.


Lou Vilela


5 comentários:

Samara Bassi disse...

emerge-me
uma inquietação
interrogando-me
as minhas verdades
naufragadas
no seu paladar.

Meu beijo, Lou.
Sam.

Verso Aberto disse...

taí,
me colocou diante DO enigma

mas
voltar desta viagem
jamais deveria ser acordar

belo poema Lou

Amapola disse...

Boa noite.

Parabéns pelo blog.

Beijos.
Maria Auxiliadora (Amapola)

f. talal disse...

o ordinário sempre pode ser extraordinário...

você, sempre acertando no alvo!
beijo querida.

Elisa T. Campos disse...

Lou

Sem palavras de tão maravilhoso.

bjs