terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Epitáfio

Imagem: http://pejot.cgsociety.org/art/painter-photoshop-seed-nudity-2d-224289


houve um tempo que a sombra apascentava
que o fruto era farto doce
que as raízes desafiavam os ventos

arbusto sobre.tudo agua(rda)va em silêncio
brotos rebentos de frutos
apodrecidos

hoje solo semente 

Lou Vilela
.

10 comentários:

Assis Freitas disse...

eis um epitáfio que não jaz, germina so.mente,


cheiro

Lucão disse...

Aparentemente, um andar pra trás.
Afortunadamente, ser o embrião.

fêrlyvictoria disse...

Oi ,nem tudo oque é lindo será pra sempre, exemplo a beleza exterior, um dia se vai. Beijiinhos :*
@per_feitosparaoamor
@ferly_victoria
http://reverseobrlife.blogspot.com/

Noslen ed azuos disse...

solo también

bjs
ns.

Verso Aberto disse...

no adubo da poesia
novas ramas
novas rimas

belo poema

abração

Adriana Godoy disse...

Bonito demais! Beijo, Lou.

Francy´s disse...

Muito lindo Lou.
beijos

Samara Bassi disse...

houve um tempo
que as sementes eram entidades
emergentes
de florescer o tempo
sem apodrecer os homens.

Que lindo, Lou.
Meu carinho
Sam

Daniela Delias disse...

Te aplaudo, Lou!
Bjos

Elisa T. Campos disse...

Um epitáfio grafado em ouro.
tudo germina e reluz outra vez.

bjs