segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Último poema



este é meu último poema
[todos potencialmente o são]
fica o ranço
dias de chagas
o que haja
até uma nova floração
este é meu derradeiro poema

Lou Vilela

Um comentário:

Leonardo B. disse...


[palavras,

florescem a cada urgência quando no corpo se faz tempo, se faz silêncio

sombra e luz, em nós
urgente!]

um imenso abraço, Lou

Leonardo B.