quinta-feira, 20 de julho de 2017

Desenho de um poema

amaciar a folha
sentir
ser música aroma
gosto e textura
tocar as possibilidades
no olho do caos

Lou Vilela

terça-feira, 18 de julho de 2017

Porto

cresceu secundária
apesar de primogênita
: tempo e fôlego para mergulhos

é preciso mais do que coragem
para se amar

Lou Vilela

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Pedra de toque

um dia tocar
tão leve, tão tênue
nua linha imaginária
ao sul
poesia
teu ventre

Lou Vilela

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Estações

hei de vestir aquelas cores
: floral, paleta-de-outono
pingo-d'água, arrebatado-verão

entre a chuva e o parapeito
calçar chinelos de nuvens

Lou Vilela

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Garra

na profundidade do nada
soube-se
unhas e dentes

Lou Vilela

terça-feira, 11 de abril de 2017

Percussão

tempo de despertar
romper silêncios
ouvir o som da poesia
meus tambores

Lou Vilela

quinta-feira, 16 de março de 2017

Simbiose II

ora raízes fincadas
ora em mangues - aérea
funde-se desejo e alma

Lou Vilela

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Seiva

sob o amor que pulula
em teu sexo
ser a seiva
escorrer
rubro líquido
existência

Lou Vilela

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Balada para o amor V

não raro enumerava os riscos
caprichos presentes fantasmas
: levava-me a sério
selava-me a boca crestava-me a alma
compunha sobretudo os nossos mistérios

Lou Vilela

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Bacante III


na urgência do desejo
um poema úmido

Lou Vilela