quinta-feira, 22 de março de 2012

Drummond ando Raimundo

Ao poeta, publicitário e jornalista Raimundo de Moraes.


Enquanto há chama, Raimundo,

nós poetas sabemos

o quanto nos vale a poesia:

nomes, rimas, conhaques -

sol e lua sobre tudo;

H2O [dis.soluções];

A

..........B

....................ISMOS:                


vasto mundo.


Lou Vilela


* Olha a confusão: o poema ‘mistura’ Drummond e Gianastácio - em seu estudo sobre o sufixo –ismo, dentre outras referências, para prestar uma homenagem ao poeta, publicitário e jornalista Raimundo de Moraes.

.

3 comentários:

Verso Aberto disse...

estes seus versos "drummondando" referências...

estou bem impressionado

parabéns
mesmo

abração

Mirze Souza disse...

Lou!

Drummond é sucesso sempre. Mas seus versos, também.

Ficou lindo!

Beijos

Mirze

Lara Amaral disse...

Maravilhoso, Lou!

Seu poema tem a chama, a fusão do mundo vasto e alheio que rodeia o poeta.

Beijo.