sábado, 19 de maio de 2012

Terra de ninguém


pelo corrimão da paisagem
um amor em rebuliço
corre corpo, anoitece
come estrelas
e um punhado de sal
[dades.

Lou Vilela

7 comentários:

Assis Freitas disse...

o sal revigora a carne, atiça-lhe o cerne



cheiro

Verso Aberto disse...

o corpo é terra de quem o ama
quando o ama
como porto

belo poema
abs Lou

marlene edir severino disse...

Pelo "corrimão" desceu minha apressada alma

comendo estrelas...

Ai que lindo!

Abraço!

Samara Bassi disse...

o sal da pele?
sal dos olhos?
um inverso amanhecido
pra se guardar no peito
esse turbilhâo ensandecido
desse amor sem jeito
de cura.

Beijo meu,
Sam

Daniela Delias disse...

E um punhado de versos lindos e cortantes...

Bjo

.maria. disse...

o amor é um ser glutão que só.

Julia disse...

lindo!