sábado, 22 de setembro de 2012

Poema sem título VI







é preciso um tanto
de espaço, de espanto,
um silêncio que comporte
todas as línguas.

Lou Vilela











3 comentários:

Assis Freitas disse...

o alvoroço do silêncio em algaravia,



cheiro

Tania regina Contreiras disse...

Espantar-se, assombrar-se...é preciso!
Beijos,

Lívia Inácio disse...


eu diria até indispensável =)