segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Girassóis


.

Corpos paredes lençóis
permissivos.
Sibilam bocas
provocam olhos ouvidos

: pontos encontros de peles pelos
partes intumescidas.

Tudo cala.

A brisa sopra horas vencidas.
Florescência.
O dia amanhece em paz.




Lou Vilela

 


* O mestre Moa plantou algumas sementes de girassol bem aqui


22 comentários:

Kanauã Kaluanã disse...

Porque a paz é a calada da noite depois que grita.

Absurdamente belo, Lou.

Beijos.

Adriana Godoy disse...

Tudo cala e o amor fica. O dia amanhece em paz. Belo, belo. Bj

Talita Prates disse...

Poeticamente belo e sensual,
Lou!

Bjo grande. :)

nina rizzi disse...

hm... amanhecer assim so depois de uma noite "daquelas" mesmo...

Mirse Maria disse...

oi Lou!

Sempre vale à pena te ler.

Beijos

Mirse

Úrsula Avner disse...

Oi Lou, mais um lindo e delicado poema! Bj.

Moacy Cirne disse...

Tudo FALA
em seu poema
e o dia amanhece.
Em paz?

Um beijo.

ADRIANO NUNES disse...

Lou,

Lindo! Parabéns!


Grande abraço,
Adriano Nunes.

Marcelo Novaes disse...

Lou,




Faz-se silêncio para a fala de pele e pelo.



Sinuoso e sonoro.










Beijos,










Marcelo.

Fred Matos disse...

Belo, Lou.
Beijos

Nydia Bonetti disse...

Lindo demais, Lou. Que girem os girassóis... Beijos.

Hneto disse...

Saudações poéticas!

Rafaela Figueiredo disse...

gosto dessas sensações 'interpassadas'... holísticas!
bonito!

valeu [pel]a visita! =)
beso

Adriana Karnal disse...

ai ai,,esse encontro de peles q faz o dia acordar em paz..q coisa boa ouvir isso numa tarde chuvosa e preguiçosa...rs...adorei Lou.

cristal de uma mulher disse...

Bellas metáforas...meu beijo

Wania disse...

Lou

Sol e girassol girando em órbitas perfeitas... o dia amanhece em paz!!!

Muito lindo,
A-d-o-r-e-i!

Bjs

guru martins disse...

...aqui caberia
um comentário
bem sacana
mas preservo
a poesia
do momento...

bj

Fred Matos disse...

"O dia amanhece em paz."

Que amanheça sempre assim, Lou. Bem como que permaneça em você a poesia.

Beijos

Fátima Campilho disse...

E os girassóis?
Belos e frágeis
Absorvem a energia
E quedam-se
Fartos.

beijos

Moacy Cirne disse...

Oi,
há uma "nudez" no Balaio.

Abraços.

Lou Vilela disse...

Meus caros, obrigada pelo carinho e pela presença.

Infelizmente, em decorrência de alguns problemas de saúde na família nem sempre tenho conseguido tempo para responder a todos os comentários, sequer visitá-los com maior freqüência, mas saibam que é sempre um prazer recebê-los neste espaço.

Um grande abraço,
Lou

Ianê Mello disse...

Nesses momentos o tempo para.
Tudo é pura magia e encantamento.

Belíssimo poema, Lou!

Beijos.