quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Cabra-macho, sim Senhor!

.
Seus cabelos, seu olhar
Suas rugas, sua fome
Tecem horas - um ecoar
Uivos de bicho homem

Reflexo de algum encanto
Imagem para espelho
Produto de amor finado
Assombro de pele, cordeiro

Da vida, cobra demais
Cabra-macho, sim Senhor!
Lida de dia sombria
Encara sol e labor

Mas quando a lua assobia
Recolhe enxada, vigor
Acende cigarro de corda
Sufoca fumaça e amor

Lou Vilela
.


*Poema inédito classificado em segundo lugar para compor a coletânea "Dias de Voar", organizada pelo 'Estação Zero'. Vejam aqui outros poemas escolhidos, bem como informação sobre o lançamento em São Paulo.

**Em decorrência de um problema de saúde que minha mãe tem enfrentado, estou sem condições de atualizar o blog frequentemente. Peço desculpas a todos e, na medida do possível, vou tentando manter os nossos contatos.  

***Tem mais um poema meu selecionado pela Editora da Tribo para concorrer ao texto da semana. Quem desejar conhecer o site e/ou me prestigiar com um voto, é só clicar aqui. Desde já,   agradeço pela atenção! :)))

Um grande abraço,
Lou
.




14 comentários:

Amosventura disse...

muito bom, nao tenho tantas palavras, para expressar minha emoçao.......

Carol disse...

=)

lindo!

CARLA STOPA disse...

Lindo...Precisando de amigos estaremos aqui...

Carmen Silvia disse...

Parabéns Lou, o poema é muito bom e merece destaque... cantas em poesia e nos atravessas o poros.

Vivas!!!

Beijos.

José María Souza Costa disse...

Passei aqui lendo o que tem pra ler. E observando o que tem para observar. E Exaltando o que tem de ser Exaltado. Estou lhe desejando um Tempo de Harmonia e de muita Inspiração. Entendo ter um blogue Agradavel, muito bom e Interessante. Eu, também tenho um. Muito Simplório por sinal. E estou lhe Convidando a Visitá-lo e, mais. Se possivel Seguirmos juntos por eles. Estarei Muito Grato esperando por Você lá.
Abraços de verdade e, fique com DEUS

Lara Amaral disse...

Já votei, Louzita!

Desejo melhoras para sua mãe.

Beijo, querida.

Assis Freitas disse...

parabéns pelo poema e votos de recuperação para a mamãe,


cheiro

Rart og Grotesk disse...

adorei o poema cabra-macho, bem diferente, estiloso!
se quiser, acesse meu blog http://artegrotesca.blogspot.com

francys disse...

Olá carissima, agradeço a sua participação no coletânea e espero que sua mãe melhore logo.
bjs bom final de semana.

Maria Marluce disse...

Seu poema é um deleite. Parabéns.

Eduarda disse...

Lou,

que poema!...a tua poesia vale por si e por nós que a lemos.

Parabéns pelo prémio.

bj

Eder Asa disse...

Ah... Sensacional! Tudo que se diz é pouco, sabe?
Melhoras pra mamãe =)

Lou Vilela disse...

Agradeço a presença de cada um, assim como as palavras de conforto e otimismo. Graças a Deus, a minha mãe está em plena recuperação e deve sair do hospital no início desta semana.

Beijos em todos

Marcelino disse...

Interessantíssima a composição em q se unem percepções só aparentemente díspares sobre o homem: bicho, cordeiro, cabra-macho,vigor, amor.
Merecida a classificação, poeta.