domingo, 11 de dezembro de 2011

Eco

.



[num instante]
a vida impregnada
[noutro]
nada
nada
nada
nada

Lou Vilela
.

3 comentários:

Assis Freitas disse...

e o nada é absoluto.


cheiro

Daniela Delias disse...

Lindo e sonoro, Lou!
Bjo cheio de carinho!

Cynthia Lopes disse...

contra
adição

bjs