sexta-feira, 26 de junho de 2009

Estranha.mente

.

.

16 comentários:

guru martins disse...

...voce já estava
tranquilizada,
pois o motivo do
temor e do tremor
se realizou...

bj

Mirse disse...

Que maravilha Lou!

Arte em versos, só seus!

Eu me sinto assim também, aliviada por um sangrar que já existiu e sem pensar nos outros que ainda virão.

Lindíssimo

Beijos

Mirse

Úrsula Avner disse...

Belo e altamente expressivo como sempre Lou. Um abraço e bom final de semana.

Graça Pires disse...

Maravilhosa arte de combinar a escrita e a imagem...
Beijos.

Cosmunicando disse...

Lou... fabuloso isso, em poucas linhas uma história inteira.

parabéns!
(vou colocar no Literapura, pode?)
beijos

Lou Vilela disse...

Obrigada pelas considerações, meus caros!

Abraços e uma excelente semana para todos!

-----------

Mê,

Claro que pode! ;) Fique à vontade!

Bjs

nina rizzi disse...

uau. per-feito de tantas histórias.

beijo :)

Marisete Zanon disse...

é a arte de sangrar quando se necessita...
Lindo!

esmaques


Marisete zanon

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

Desde mis HORAS ROTAS,
y AULA DE PAZ
un afectuoso abrazo y
cariño compartido
siempre desde el alma
saludos
de amistad:
---Jose Ramon---

Adriana Godoy disse...

Uma história escorrida e quente como o sangue. Adorei. Bj

Mirse disse...

Vampiresca e puro como o sangue dos amores que acabam no hábito de acabar!

Belíssimo!

Beijos

Mirse

Lou Vilela disse...

Nina,

histórias essas que carregas também, no olhar...

bjs

Lou Vilela disse...

Marisete,

que possamos sangrar sempre que necessário...

Abraços, querida!

Lou Vilela disse...

José Ramon,

Agradeço pelo gentil comentário. Bem vindo ao Nudez Poética!

Abraços

Lou Vilela disse...

Godoy,

Alegra-me que tenhas gostado.

Bjs minha cara

Lou Vilela disse...

Mirse,

Comentário filosófico! ;)

Bjs