sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Um tango em cadafalso








 
duas taças, vasta sede
e o tinto que escorre
enquanto sangram.

Lou Vilela 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aproveito a oportunidade para informar que o meu poema 'Leitura suicida II', graças ao empenho dos que me prestigiaram, foi o mais votado na coluna "Texto da Semana" e está exposto no site da Editora da Tribo. Mais uma vez, obrigada pelo carinho!

Abraços,
Lou
.

17 comentários:

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá, vim deixar um carinho de amiga, com abraços de paz, beijos no teu coração.♥

Olavo Bilac

Natal


Jesus nasceu. Na abóbada infinita
Soam cânticos vivos de alegria;
E toda a vida universal palpita
Dentro daquela pobre estrebaria...

Não houve sedas, nem cetins, nem rendas
No berço humilde em que nasceu Jesus...
Mas os pobres trouxeram oferendas
Para quem tinha de morrer na cruz.

Sobre a palha, risonho, e iluminado
Pelo luar dos olhos de Maria,
Vede o Menino-Deus, que está cercado
Dos animais da pobre estrebaria.

Não nasceu entre pompas reluzentes;
Na humildade e na paz deste lugar,
Assim que abriu os olhos inocentes
Foi para os pobres seu primeiro olhar.

No entanto, os reis da terra, pecadores,
Seguindo a estrela que ao presepe os guia,
Vem cobrir de perfumes e de flores
O chão daquela pobre estrebaria.

Sobem hinos de amor ao céu profundo;
Homens, Jesus nasceu! Natal! Natal!
Sobre esta palha está quem salva o mundo,
Quem ama os fracos, quem perdoa o mal,

Natal! Natal! Em toda a natureza
Há sorrisos e cantos, neste dia...
Salve Deus da humildade e da pobreza
Nascido numa pobre estrebaria.

FELIZ NATAL!

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá, vim deixar um carinho de amiga, com abraços de paz, beijos no teu coração.♥

Olavo Bilac

Natal


Jesus nasceu. Na abóbada infinita
Soam cânticos vivos de alegria;
E toda a vida universal palpita
Dentro daquela pobre estrebaria...

Não houve sedas, nem cetins, nem rendas
No berço humilde em que nasceu Jesus...
Mas os pobres trouxeram oferendas
Para quem tinha de morrer na cruz.

Sobre a palha, risonho, e iluminado
Pelo luar dos olhos de Maria,
Vede o Menino-Deus, que está cercado
Dos animais da pobre estrebaria.

Não nasceu entre pompas reluzentes;
Na humildade e na paz deste lugar,
Assim que abriu os olhos inocentes
Foi para os pobres seu primeiro olhar.

No entanto, os reis da terra, pecadores,
Seguindo a estrela que ao presepe os guia,
Vem cobrir de perfumes e de flores
O chão daquela pobre estrebaria.

Sobem hinos de amor ao céu profundo;
Homens, Jesus nasceu! Natal! Natal!
Sobre esta palha está quem salva o mundo,
Quem ama os fracos, quem perdoa o mal,

Natal! Natal! Em toda a natureza
Há sorrisos e cantos, neste dia...
Salve Deus da humildade e da pobreza
Nascido numa pobre estrebaria.

FELIZ NATAL!

Mai disse...

Poema rubro, caliente!Muito bom.

Parabéns pela edição daquele poema na "Tribo". você merece.

Um bom Natal, Lou.

Assis Freitas disse...

última safra,

cheiro

Janaina Cruz disse...

Lou já é nome de poetisa renomada, Exemplo: A Lou Salomé.
Parabéns pelo poema mais votado Lou, parabéns sobre tudo, pelo blog de palavras doces e lindas, iguais ao vinho que com o tempo voltamos a ler e beber de tuas palavras e elas estarão mais doces, e nossa visão ainda mais apurada...
Sigo-te com prazer!

Eduarda disse...

Lou,

A sensualidade dançada num tango...soberbo.

Parabéns pelo teu destaque. Já lã fui mas não consigo entrar.

Mas hei-de conseguir.

bj

Wania disse...

Lou

Linda poesia... as palavras pulsam no ritmo do tango!


Bjão, amiga!
Um Natal iluminado para vc e para toda a sua família. Paz, saúde e amor!

danbrandao disse...

parabens, um blog muito bom, continue assim.

http://danbrandao.blogspot.com

MOISÉS POETA disse...

Dança Febril...

O Poema Esmiuça a Febre...!

Beijo, Poeta !

Carol disse...

Docemente LINDO!

carmen silvia presotto disse...

Parabéns pelo poema publicado e por este tango, tua poesia merece estar aos quatro ventos, ao alcance de todos.

Beijos

Sandra Cajado disse...

Amei tudo que vi...E li!

A nudez poética desnudou as cores da minha alma.

Lindo espaço!

Belo lugar!

Parabéns!

Um abraço.

Sandra Cajado

Eder Asa disse...

Que tango!
Fico cá imaginando, e se fosse um samba... HAHA'

João Bosco Maia disse...

Vagando nessas tantas ruas virtuais, encontrei tua porta de amante das Letras aberta - e entrei. Devo anunciar-me como um desses que diz "Oi, de casa! Trago aqui em minhas mãos a chave para dias melhores: escrevo e vendo livros!". Assim, venho te convidar para visitar o meu blog e conhecer as sinopses de meus romances, a forma de adquiri-los e, posteriormente, discuti-los. Três deles estão disponíveis inclusive para serem baixados “de grátis”, em formato PDF.
Um grande abraço literário,

João Bosco Mai

carmen silvia presotto disse...

Lou, um grande beijo e junto meu carinho e desejo de um Feliz Natal e um 2011 de versos cruzados, amor e esperança.

Carinho sempre!

Marcelino disse...

Perfeita comunhão entre a gravura de dois corpos que se enlaçam e dançam e os três versos trançam e sangram a vertigem do amor.

rua do mundo disse...

bom d+! sem contar que adoro tango! perfeito!
aliás acredito que seja o estilo que mais evoluiu nos últimos tempos...
ouça gotan project... xuxu!!!
te gosto diiimais...
xau e bjs