sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Lama de mel

.

dedo em riste
na própria lama
deflorou a folha
ejaculou versos
adormeceu em paz

Lou Vilela



.

.

2 comentários:

Cosmunicando disse...

o gozo da poesia =)

Pavitra disse...


quando o adormecer fica cheio de linhas
que tudo podem
na cabeceira do sonho...