domingo, 13 de dezembro de 2009

Saldo

.


restam algumas horas
[longas horas] indefinidas
emplastros de uma outra vida
sobre os escombros.


chove!
e a terra é fértil...



Lou Vilela

.

20 comentários:

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

Restam emplastos, mas a terra é fértil. Isso junto a chuva deve ser bastante bom.

Beijos, Lou...

Sempre bons versos.

Úrsula Avner disse...

Linda e expressiva poesia Lou. Bj.

Marcelo disse...

en~tao vai dar frutos


beijoooo

Tiago Tobias disse...

Seu poema traduz uma esperança. As coisas, apesar de tudo, são férteis. As coisas, os sonhos e as pessoas. Gostei.

Wilson Torres Nanini disse...

Belo poema! Como disse T.S.Eliot, "nesses escombros, escoro minha vida." Só não regue as ruínas.

Adriana Godoy disse...

Choveu aqui a sua poesia. Beijo.

Adriana Karnal disse...

Lou,
lindo, adoros teus poemetos sobre o amor a terra...

Moacy Cirne disse...

A poesia brota
e fértil é a sua terra,
solo significante das surpresas
de cada novo dia.

Um abraço.

J.F. de Souza disse...

Entre mortos e feridos...

Lice Soares disse...

Belíssimo!
Parabéns.
Bjs.

Lou Vilela disse...

Bezerra Guimarães,

É sempre um prazer receber a sua visita.

Um grande abraço!

Lou Vilela disse...

Úrsula,

Obrigada pela presença constante!

Beijos, minha cara!

Lou Vilela disse...

Marcelo,

Se a terra é fértil...

Obrigada pela leitura, meu caro!

Abraços

Lou Vilela disse...

Tiago Tobias,

Obrigada pelas considerações!

Seja bem-vindo!


Abraços,
Lou

Lou Vilela disse...

Wilson,

Que bela citação! - não conhecia.

Não se preocupe! não é de minha natureza regar ruínas - a não ser que exista ali a possibilidade de germinação. ;)

Abraços

Lou Vilela disse...

Dri Godoy,

Gostei de chover. ;)

Beijão

Lou Vilela disse...

Dri Karnal,

O amor é moto-contínuo. ;)

Beijos

Lou Vilela disse...

Moacy,

Um comentário-poema...

Beijos

Lou Vilela disse...

J.F. de Souza,

...cada um salva-se como pode. rs

Obrigada pela presença e pelo link!

Abraços,
Lou

Lou Vilela disse...

Lice,

Fico feliz que tenha gostado!

Bem-vinda, minha cara!

Abraços,
Lou