terça-feira, 30 de novembro de 2010

Poema para sustos e Minotauros

.


A palavra trama
Tece em nós fio
e (des)caminho.

Lou Vilela



.

12 comentários:

Lara Amaral disse...

... enlameia serpentes de letras.

Muito bom, Lou =)
Beijinho.

Ives disse...

A palavra é uma grande sombra, sem conhecer quem a escreve. Abraços

sidnei olivio disse...

Poetrix muito bem tramado (desculpe o trocadilho). Beijos

Assis Freitas disse...

labirintico,

cheiro

Mai disse...

Tecer palavras é faceta de poetas.
És!

beijos

Graça Pires disse...

A vida por um fio...
Beijos.

Gislãne disse...

a palavra está sempre a tece em nós e as vezes nós.

Gislãne do blog: http://umapausaparaescrever.blogspot.com

★★ GIZA ★★ disse...

OLA
PASSANDO PARA DIVULGAR MEU NOVO BLOG
WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
ME SEGUE LÁ TAMBÉM POR FAVOR
BEIJOS

Leonardo B. disse...

[da palavra em chama,
ponto por ponto, cisco de luz
[talvez clarão frio]
pano cru, bordado cruz
[talvez linho]]

um imenso abraço, Lou

Leonardo B.

* desculpa Lou, não resisti o improviso... Abraço+

carmen silvia presotto disse...

A palavra é a trama
em que nós despalavramos os sentimentos.

Um beijo Lou, na síntese está mais um mítico poema, gosto muito.

Bєzєяяa Guimaŗãeร disse...

Concordo com Mai.

Ficou belo, Lou.

Fiquei a pensar:
escrito ou não-escrito
o nosso destino pode se modificar?

Beijos,
Ry.

Betha Mendes disse...

e assim vamos tecendo o mundo, mtas vezes nos desequilibrando em seus fios...

Betha