sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Na lonjura de um poema



Gostava da seiva, teu corpo 
arvorecido onde o sol 
em areia crepitava.

Lou Vilela



* Poesia para os pequenos grandes seres: "Ritmos e rimas".

.

10 comentários:

R.B.Côvo disse...

Gostei. Um abraço.

Carol disse...

Lindo!
Lindo!
Lindo!

Valquiria Calado disse...

Um gostar maravilhoso, abraço.

Sandrio cândido. disse...

Estranho e ardente gosto.

CARLA STOPA disse...

Amei.

Assis Freitas disse...

e os reinos se misturando,


cheiro

p.s. o título é tão distante e perto

Lara Amaral disse...

Esse poema desperta um-não-sei-o-quê, não-sei-aonde, rs...

Maravilhoso, simplesmente!

Beijo!

Daniela Delias disse...

Ô, Lu...mergulhei nessa lonjura!

O que Cintila em Mim disse...

Estou te lendo e imaginando sua doçura...

Jorge Pimenta disse...

impressionante o poder sugestivo da imagem que aqui (re)crias, lou. saudades de te ler.