domingo, 23 de agosto de 2009

Poema primitivo

.
Imagem by Lou Vilela





* Esse poema "caiu" no Balaio Porreta 1986 - no. 2765, de 27/08/09.

.

21 comentários:

Talita Prates disse...

Que legal, Lou!
=)
Bjo.

Hercília Fernandes disse...

Maravilha, Lou.

Desejo que aflorem entre [seus] dedos muito mais arte poética, molhada ou não...

Beijos, minha caríssima!
H.F.

A.S. disse...

Lou...

Um pingo mais
desse liquido ardor
e o poema
transborda de amor!...


Beijos...

nina rizzi disse...

delícia, lou. gosto assim: molhadim.. rsrsrs..

beijo.

BAR DO BARDO disse...

... pra mim, erótico por demais...

Adriana Godoy disse...

uau...beleza!! bj

Mirse Maria disse...

Belo demais !

Lou! A cada dia melhor!

Beijão

Mirse

Lou Vilela disse...

Talita,

Obrigada! ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Que assim seja, Hercília! ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Grata pela leitura e considerações, A.S.!

Abraços

Lou Vilela disse...

rsrs Nina...

Lou Vilela disse...

Henrique,

Aí está a magia: a diversidade do olhar! ;)

Abraços

Lou Vilela disse...

Mirse,

Passei em seu blog hoje. Para mim, continua sem atualizar.

Bjs minha cara e obrigada pelo gentil comentário!

Fátima Queiroz disse...

molhadim é mió, tô com a me-nina

beijos lou

Luis F disse...

Gostei muito de conhecer este cantinho...

Muito bom mesmo

Parabéns

Luis

meus instantes e momentos disse...

bonito de ler...
Maurizio

Adriana Karnal disse...

Adoro esses poemas cutors que dizem tudo...demais!

Lou Vilela disse...

Fáfulômaluca! ;)

Bjs

Lou Vilela disse...

Luis F,

Foi um prazer receber a sua visita! Bem vindo ao Nudez Poética!

Abraços,
Lou

Lou Vilela disse...

Maurizio,

Fico feliz que tenha gostado!

Abraços, meu caro!

Lou Vilela disse...

Pois é, Dri... têm que dizer em poucas linhas. ;)

Bjs