sábado, 30 de janeiro de 2010

Sino dos ventos



Furacão Katrina
Imagem encontrada na internet sem identificação de autoria.




a Iago

Uma safra de linguagem
recria intenções
completa caminhos.

Jovem impertinente
revela-se desatada
vontade de ser vento
força de girar furacões.

- A estação mal
me cabe brisa.


 Lou Vilela

.

8 comentários:

Hercília Fernandes disse...

...

"A estação mal
me cabe brisa."

Lindo poema, Lou.
E os últimos versos são demasiadamente expressivos. Fecha o poema com extrema beleza.

Beijos,
H.F.

Assis Freitas disse...

fecho de ouro, evoé.

Mai disse...

Um vento que, assim como plaina, varre. Belíssimo! As fantasias são várias, conterrânea. Um cheiro, Lou. Evoé, poetisa.

Kanauã Kaluanã disse...

Por isso, quando aqui passo, tua poesia me arrasta...

Bєzєяяɑ Guimɑŗãeร disse...

Mas que força...

Que bela poesia.


Beijos,
Ry.

BAR DO BARDO disse...

Poiésis do ar - gostei!

ADRIANO NUNES disse...

Lou,


Gostei muito! Parabéns!


Grande abraço,
Adriano Nunes.

Lou Vilela disse...

Sabê-los, já é muito bom! tê-los por perto, ainda melhor. ;)

Beijão e obrigada a todos pela visita!