terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Tessitura

.

1. "Viajar bruto é transcender o espaço físico para o espaço sensorial."
2. "Sempre achei a poesia muito mais próxima da música que da literatura."
(Viajando Bruto, Nina Rizzi)


a música que nos é tolhida,
quiçá a mais bela
porque não tocada [sentida],
faz-nos desejo – vibração.

as cordas cantam o enigma...
num sopro, cria o poeta.
(re)percutindo, segue a poesia.

 
Lou Vilela
.
.

10 comentários:

Lara Amaral disse...

Para mim, ela é a arte completa, que silenciosa, só com palavras, consegue criar um filme de todos os gêneros e trilhas sonoras em nossa mente.

Lindo poema.

Fiquei feliz com sua visita.

Beijos!

nina rizzi disse...

Lou: vc captou bem o "viajar bruto". adorei :)

Um beijo.

Assis Freitas disse...

Aqui a poesia tambem fez o seu estrago: há muita magia. Abraço.

BAR DO BARDO disse...

Desdobra-se o som em música.

nina rizzi disse...

Nietzsche dizia que a música "é a amis dionisíaca das artes", e o é, todas outras artes se lhe complementam e ou contrário, não?

e Mozart, ao ser questionado sobre que música preferia, respondeu: "nenhuma música".

outro beijo, frô.

Adriana Karnal disse...

Lou,
O que é issso?
em 2010 sua poesia está mais linda!!!Que siga assim!

Rita Palma disse...

ESpetacular o blog e o que escreves.
fantástico

Rita Palma disse...

Parabens pelo bog

Mai disse...

Música e alma aqui. E do indizível em palavras, você faz poema em pauta e nos toca o coração. Belo, Lou. Um beijo, querida.

Marco Aurélio disse...

Música e poesia quase sempre andam juntas! Gosto Muito de música instrumental e me dediquei a ela durante anos. Agora tenho estado absorvido por ciência! Me atrevi a escrever alguns "poemas" em meu blog ser quiser ler depois te mando os links!