quarta-feira, 12 de maio de 2010

Desassossego

.

Para  Ana Maria Veloso*




Eva by Francis Picabia




Adormeceu na presença
de velhos fantasmas.


O açoite dos pensamentos
fez o corpo em flagelo
exalar o cheiro putrefato:


entre a flor e o falo
o inquietante amanhã
e as horas que se acumulam
como o lodo sobre as pedras.

O medo nunca foi proteção!



Lou Vilela
Em 20/04/09



* Ana Maria Veloso é jornalista, empreendedora social Ashoka - organização mundial sem fins lucrativos, pioneira no trabalho e apoio aos empreendedores sociais -, doutoranda em comunicação pela UFPE, professora da Universidade Católica de Pernambuco. Em sua militância na área social registram-se ainda passagens pelos Fórum de Mulheres de Pernambuco, Fórum Pernambucano de Comunicação, Coletivo Intervozes de Comunicadores(as) Sociais, Sinos - Organização para o Desenvolvimento da Comunicação, dentre outras entidades e movimentos sociais (biografia gentilmente cedida pela jornalista).

**  Texto republicado.

.

12 comentários:

Adriana disse...

desassossega...

Mirse disse...

Lindo poema, Lou!

"O medo nunca foi proteção" é uma das minhas máximas, por ser a mais pura verdade.

Bela homenagem à Ana Veloso. Mulheres que se destam no empreendedorismo ou em causas nobres, sempre me encantam.

Parabéns!

Beijos

Mirse

Guru Martins disse...

...mas o medo
pode ser o pai
da cautela...

Um selo seu é como
um carimbo atestando
garantia indefinida
de alta qualidade.
Obrigado por ele.

bj...

Lou disse...

A intenção é essa, Adriana. :)

-----------------

A mim também, Mirse.

-----------------

Você merece, Guru!


Um grande abraço a todos,
Lou

Nuno G. disse...

lindo poema, bela homenagem!

Adriana Godoy disse...

Lindão,Lou. Adorei. Ela já leu? Beijo.

Theresa Russo disse...

O que mais me fascina em relação aos pensamentos/poemas de Lou é a sua imprevisibilidade...
Abraço cheio de carinho cara poeta..Saiba que vc sempre estará em meu coração...
THeresa Russo

Taninha Nascimento disse...

Oi, Lou!

O medo protege sim, mas petrifica também...

A proteção é o equilíbrio...Ai!!!
que difícil!!!

Muito bacana!

Bjs,
Taninha

Úrsula Avner disse...

Oi Lou, cada vez admiro e me encanto mais com o que voce escreve. Obrigada por seu carinho em meu cantinho. Já linkei seu blog no meu blog de pensamentos e citações. Bjs.

Lou disse...

Nuno,

Obrigada pela visita! Bem vindo ao Nudez Poética!

------------------

Sim, Godoy... leu em primeira mão.

Espero que estejas melhor!

------------------

The,

Suas palavras e o seu carinho me deixam enternecida. :)

Estava com saudades, guria.

-------------------

Sim, Taninha... dificílimo!

-------------------

Obrigada pelo link, Úrsula. Na medida do possível, vou atualizar a leitura e presentear-me com suas doces palavras. :)

Um grande abraço em todos,
Lou

romério rômulo disse...

certo,lou:o medo nunca foi proteção.
romério

Assis Freitas disse...

provisoriamente não cantaremos o amor, cantaremos o medo, como versou Drummond. Cheiro