quarta-feira, 26 de maio de 2010

Transitório

.





*  Texto republicado.
.

11 comentários:

Hercília Fernandes disse...

Lou,

adorei o seu poema-fotografia em preto e branco.

A poesia tem dessas efemeridades... O acaso, em certos casos, faz muito bem.

Um forte abraço, minha cara.

Beijos :)
H.F.

Marisete Zanon disse...

O acaso...e pensar que tantas pessoas se vestem ou mesmo se despem como uma desculpa...
Poetas são seres cheios de sensibilidades e por isso somos capazes de perceber as coisas mais simples as quais "outros" não percebem...
grande abraço

nina rizzi disse...

lou,

adoro peêbê :) e... "parto, sempre parto". é preciso desestagnar as "coisas" pra que cheguem as novas e boas. ou não, lol!

de qualquer modo, há sempre um lado que ói mais. de um dos lados...

bom demais. beijo :)

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Lou! Um amor estéril, em preto e branco, que vestiu-se do acaso e partiu. E agora? Agora só lembranças.

Adorei, muito profundo. Parabéns!

Perdoe-me pelas baboseiras. É que estive passeando, avistei teu espaço, invadi, gostei e não resisti.

Beijos,

Furtado.

Úrsula Avner disse...

Oi Lou querida, lindo poema num belo arranjo em cartão. Sua escrita poética me fascina ! Bjs com meu carinho e admiração.

O empírico disse...

Adoro as relações que tece entre imagem e texto...

Renata de Aragão Lopes disse...

Encantei-me, uma vez mais, pela sua capacidade de escrever [literalmente] sobre uma imagem. Adicionarei o seu blog entre minhas "delícias alheias". Beijo e parabéns!

Jorge Pimenta disse...

um amor porta-retrato, esse...
acho especilamente bem conseguida a construção poética e a sua conjugação com a esfera visual. belíssimo, pois!
um abraço!

Assis Freitas disse...

retrato em branco e preto, "com seus mesmos tristes velhos fatos que num album de retratos, eu teimos em colecionar". cheiro

Lara Amaral disse...

Uau!

Daniela Delias disse...

Também penso tanta nessas vestes do acaso! O melhor deles foi visitar Fouad e acabar por te encontrar! Bjo, lindo blog.